sábado, 19 de dezembro de 2009

Tempo que há de ser.

Eu simplesmente o deixei falando sozinho e saí, pra qualquer lugar longe dali onde meus argumentos antes repreendidos pudessem ser admirados.Nunca imaginei que o fim de tarde fosse tão bonito quanto o nascer da manhã gélida e nublinosa, e quão  reconfortante e envolvente é o alaranjado do pôr do sol.
Calado ele chegou perto de mim no parque, e assim permaneceu, imóvel ao meu lado sem uma palavra dizer, até que não aguentando mais o incomodo silêncio, sussurrei: "respire, apenas respire, pois um dia tudo muda", por mais lágrimas que teimavam em cair nas minhas bochechas virei-me para o lado e para a minha grande surpresa estivera falando sozinha, ou pelo menos era o que se pensava aparentemente.Então só me lembro que levantei e corri, corri muito, até o ar me faltar aos pulmões, quando enfim cai cansada, vi que estava muito longe de casa e de meus pensamentos realistas.Recuperando a respiração ergui a cabeça e voltei para casa junto das minhas idéias mais futuristas, vendo que afinal não adiantava fugir, em alguma circunstância eu os reencontraria, quero dizer, os pensamentos realistas.
Pois é terrivelmente verdade que só não conseguimos fugir de nós mesmos.

[Ana Hemb]

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Skinhead.

As pessoas, de modo geral, não acreditam serem levadas pela imprensa, inclusive acham erroneamente que o fato de não assistir muito a televisão, as deixa imunes a mídia em massa, que muitas vezes constrói conceitos comuns a sociedade, seja pelo jornal, pela novela ou uma simples propaganda.Um deles, dentre muitos outros, seria o (pré)conceito sobre os Skinheads.
Os vídeos a seguir desmistificam a imagem do Skinhead e suas origens, e é super interessante justamente pelo fato de que mesmo para quem nunca leu mais a fundo sobre as origens do Skinhead, nos vídeos é bem explicado e de maneira simples.

video video video

[Ana Hemb]

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

sábado, 7 de novembro de 2009

“Fechado dentro de mim mesmo”

Idéias desprendidas

Acorda de manhã ainda com o corpo pesado, dos músculos relaxados se confundindo com o cansaço.Levanta e a primeira coisa que faz é ir ao banheiro com o rosto ainda inexpressivo e inchado da noite mau dormida por ter ficado até as 3 da manhã vendo aquele filme ou série que você  não podia perder de jeito algum.
Sua mãe que passa por você no corredor logo diz "bom dia" esperançosa de recebe-lo de volta, e você sem a mínima vontade de falar e movimentar os músculos faciais, apenas acena com a cabeça e esboça um sorriso, que logo é interpretado como mau humor por "nem dar bom dia direito".
Será que é tão difícil de entender, depois de tanto tempo de convivência, que não se trata de mau humor, mas sim de falta de vontade de dizer algo ao acordar? O dia começa pra mim quando eu já tomei um café quente e tudo mais, aí sim digo bom dia com o maior gosto.Antes disso pra mim, só se eu tiver dormido muito bem ou ter sonhado algo extremamente bom.A educação infiltrada em nossas mentes de que toda vez em que você não responde alguém que lhe cumprimenta é falta de educação é assustadora, porque pensa, não é todo dia em que você vai estar disposto e com a maior felicidade do mundo e dizer "good mornig sunshine".Ou quando nos perguntam " Oi, tudo bem?", a pessoa geralmente não quer realmente saber se está tudo bem, é em suma uma pergunta retórica, o que muitas vezes torna-se mecânico e irritante.
Quando se utiliza o transporte coletivo você não consegue chegar a conclusão se é melhor ter um carro ou andar de bicicleta, primeiro que o custo da passagem é um absurdo para o que se é oferecido, depois que a super lotação, os horários etc. não acontecem apenas em horários de pico ou no verão em que torna-se quase insuportável andar de ônibus.Inclusive, no inverno você pega ônibus com medo de pegar alguma doença viral e no verão alguma doença de pele, é um inferno.
As vezes dá uma vontade louca de deletar todas as contas de email, simplesmente deletar orkut, blog e afins, pela infelicidade de ver que tem gente que vive e é controlado por isso.Fora que a internet deixou de ser a muito tempo apenas para uso de comunicação e troca de informações, para muitos é quase uma segunda vida.
Tanto quanto o intelecto das pessoas aumentou com a internet, diminuiu também, pois hoje se dá importância mais para a sua vida social no orkut que em qualquer outro lugar real, em que o intelecto não vem no google ou Wikipédia com simples um Ctrl + c / Ctrl + v.
Escrever pra mim sempre foi uma forma libertadora de (tentar) explicar o que penso, mas por muitas vezes decaí na neura de não ter inspiração ou mesmo "nem sei porque escrevo se nada fica bom".Sou aspirante a escritora sim, mas a minha pretensão se mostra envergonhada ao conhecer mais e mais pessoas que escrevem esplêndidamente.
Pensava mesmo em fazer jornalismo, mas me vejo muito crítica para conseguir viver disso.Pensei em virar escritora, mas cheguei a conclusão de que grande maioria das coisas que gosto de fazer servem mais pra hobbie que pra vida profissional, o que me deixa mais confusa ainda.Arriscar ou não arriscar? Eis a questão.Afinal quem faz vestibular sofre sim muita pressão, mas quem não faz também sofre.
O mundo vive em tempos de nerds, hoje não é mais considerado estranho ser inteligente, adquiri-se aliás como qualidade.O intelecto nunca esteve tão explicito nas ultimas décadas, aliás os nerds, geeks, cdf's nunca foram tão "populares", em filmes, seriados, e mesmo na vida real.
Considero isso muito bom, afinal mesmo que tenhamos opiniões diferentes, crenças diferentes, culturas diferentes, é bom saber que o conhecimento é visto com bons olhos, e não apenas como "estude para ter um futuro", mas sim "estude para você saber viver, conhecer as coisas que te cercam, entender o porque das coisas, para você, e não para os outros".Esse foi um lema que eu considerei a partir do ensino médio, quando temos que começar a pensar em nossos futuros.
Ainda tem gente que acha um cúmulo comprar em brechós, mas creio que essas pessoas não pensam nos benefícios que pode-se ter através da reutilização de roupas, muitas vezes novas.Assim como a carne que boa parte de seu preço é em função do transporte do local de origem até os seus supermercados, e não apenas a carne.Só o combustível que gera poluição(e todo o resto), já lhe faz pensar duas vezes antes de comer carne todos os dias, além dos benefícios óbvios para a saúde.Tem gente que acha que refeição sem carne não existe, e que esquece que o ideal é comer no máximo uma ou duas porções por semana, isso variando entre carne vermelha e branca.Fora que muita gente se esquece que o que nos atrai não é o gosto puro e simples da carne(coisa que em muitos dá nojo só de pensar), mas sim o tempero que nela é colocado.
Os meus pensamentos existencialistas ainda são muitos muitos dos quais acontecem em conversar inexplicáveis e que trazem outro modo de ver as coisas, mas para colocá-los em palavras, você não terminaria de ler tão cedo, por tanto, postarei em doses pequenas conforme for me lembrando, e por enquanto fico por aqui.
ps.: este post pode ser deletado a qualquer momento.

[Ana Hemb]

sábado, 31 de outubro de 2009

"Seu direito termina onde o do outro começa."


No charme de um cigarro, um ardente jogo de sedução.
Entretanto o cigarro abandona seu charme, tal como a vida que abandona um corpo em sua consequência, perde seu encanto.
Tola sedução.

Ana Luiza Hemb


A lei anti fumo passou a vigorar em Santa Catarina a partir do dia 13 de Outubro de 2009, segundo a 
LEI Nº 14.874
Art. 1ºFica proibido o uso de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou de qualquer outro produto fumígero, derivado ou não do tabaco, em recinto coletivo fechado, seja público ou privado, no Estado de Santa Catarina, de conformidade com a Lei federal nº 9.294, de 15 de Julho de 1996, regulamentada pelo Decreto federal nº 2.018, de 1º de Outubro de 1996. (...)

Não só em São Paulo e Curitiba, agora também em Santa Catarina.

O cigarro desde criança me incomodou, não o ato de alguém fumar, cada um sabe de si, e eu também tenho os meus hábitos nada saudáveis, mas a fumaça, o cheiro me incomodavam.
No começo era muito mais birra pra fazer o meu pai parar de fumar, depois se transformou em agonia de estar perto da fumaça, respirar a impureza expelida por outros.
Faz um ano e meio que o meu pai parou de fumar, mas não somente porque eu reclamava, também e principalmente pelo dinheiro que ele se viu gastando absurdamente em seus maços de cigarros fumados por dia.Claro que o pulmão dele já não irá se recuperar tanto, afinal ele fumou desde os 15 anos e parou agora com 55 anos.
Hoje já abri mão de reclamar ou desviar de quem fuma, ainda mais porque na maioria das vezes não vai adiantar, a pessoa só vai parar se ela quiser.
A fumaça do cigarro é atualmente mais uma das muitas que nós respiramos, vamos fazer o mundo parar de usar automóveis e afins porque a fumaça é prejudicial? Seria lindo apesar de praticamente impossível, talvez quando a situação estiver critica, ou mesmo irreversível, isso aconteça.Mas sempre será assim, há os conscientes, os que nem ligam e os neutros. Os conscientes sempre vão querer mudar o mundo com seus atos e que todos os imitem, os que nem ligam vão fazer de qualquer modo, "vou morrer um dia mesmo" e os neutros são neutros, oras.
Não digo que não seja admirável querer conscientizar outras pessoas do melhor, creio aliás que eu faço parte desse grupo, mas não estamos em posição de ambicionar tanto.Estamos correndo contra o tempo, e além da conscientização em massa que precisaria, leis e proibições a nossa última saída, como sempre, ainda é a tecnologia.A mesma que recupera algo que nós exterminamos ou não cuidamos achando ser infindável.

A saúde da população agradece.

 "Fica instituído o dia 29 de Agosto como o Dia Estadual de Combate ao Fumo."

Mais sobre lei anti fumo:




[Ana Hemb]

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Viva, não sobreviva.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando, porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. 
(Luiz Fernando Veríssimo)



Há um desejo estranho
De sonho e de luzes
Nos olhos da face
De quem quer viver.
(Anônimo)


[Ana Hemb]

domingo, 25 de outubro de 2009

Por uma vida sem catracas.

Dia Nacional do Passe Livre.




O dia 26 de outubro é considerado O Dia Nacional de Luta pelo Passe Livre. Sua primeira “edição” ocorreu em 2005, onde uma catraca em chamas simbolizava a união das manifestações, ocorridas em 14 cidades. A data foi escolhida pois foi o dia em que um projeto de lei de iniciativa popular do passe livre (com cerca de 20 mil assinaturas) foi votado na Câmara de Vereadores de Florianópolis. O projeto foi aprovado em 4 de novembro.


"Revisão de História"

A revolta popular que originou o Movimento Passe Livre aconteceu em Salvador, capital da Bahia. Em 2003, milhares de jovens, estudantes, trabalhadores e trabalhadoras fecharam as vias públicas, protestando contra o aumento da tarifa. Durante 10 dias, a cidade ficou paralisada. O evento foi tão significativo que se tornou um documentário, chamado “A Revolta do Buzu”, de Carlos Pronzato. O filme mostra como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) tentaram liderar uma revolta que não iniciaram. A Revolta do Buzu, até então, era caracterizada como um movimento autônomo e espontâneo. Após o racha, a UNE e as outras organizações se colocaram contrárias ao movimento que nunca lideraram.

Em 2004, um grupo em Florianópolis já se articulava numa proposta diferente das organizações estudantis oficiais. Inspirados nos acontecimentos de Salvador, a cidade parou na famosa "Revolta da Catraca" ou "Amanhã vai ser maior". Os protestos pediam, mais uma vez, a redução das tarifas de ônibus, e havia a participação de outros grupos como associações de moradores, professores, punks e a população em geral.

Durante os dois anos seguintes, manifestações contra aumentos de tarifa e contra o atual sitemas de transporte ocorreram em diversas regiões brasileiras, como em São Paulo, Itu, Belo Horizonte, Curitiba, Cuiabá, Porto alegre, Rio de Janeiro, Brasilia, Joinville, Blumenau, Fortaleza, Recife, Aracaju, Rio Branco, entre outras.

[Ana Hemb]





sábado, 10 de outubro de 2009

Esquadrinhar consciência.


TRADUÇÃO:

Mickey 3D - Respire

Venha aqui garoto, ouça-me menino 
Vou contar a história de seres humanos 
Não havia nada no início era 
a natureza avançada, não havia nenhuma maneira 
Então, o homem chegou com seus sapatos grandes 
Fotos dos pés na boca para impor 
O primeiro -estradas de modo que ele começou a desenhar 
As setas na planície se multiplicaram 
E todos os itens foram vistos sob controle 
Em 2 tempos 3 movimentos a história foi dobrando 
Não é amanhã o dia que conseguiremos reverter 
Ele mesmo começou a poluir o deserto 

Você tem que respirar, e isso não é nada para dizer 
Você não vai morrer de rir, e não há nada a dizer 

Dentro de alguns anos ela tem comido folha 
E seus netos terão mais do que olhar 
No meio da frente eles vão pedir 
Por que você se preocupa? você tem dois que passam por um, idiota 
Eles dizem como você pode deixar isso acontecer 
Você terá que defendê-lo, bonito explicar uma baixa 
Não é culpa minha, é culpa do ex - 
Mas não há ninguém para lavar as mãos 
Você diz-lhes que você poderia 
Comer frutas deitado na relva dos prados 
Eram animais em toda a floresta, 
No início da primavera, as aves retornando 

Você tem que respirar, e isso não é nada para dizer 
Você não vai morrer de rir, e não há nada a dizer 
Você tem que respirar, amanhã é que todo império
Você não vai morrer de rir, e não há nada a dizer 

O pior nessa história é que somos escravos 
Em algum lugar assassino aqui incapaz 
Árvores para assistir sem se sentir culpado 
Metade despidos, 100 por cento de miseráveis 
Embora esta seja pequena, a história do homem 
Não é muito agradável, e não o fim Joli joli
Você não está carregado em um repolho, mas sim em um buraco 
Que se reúne a cada dia como um poço de estrume.


(Alguns erros de tradução, mas está compreensível, espero)

[Ana Hemb]

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Nova data do ENEM.


As novas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2009) já têm nova data.O anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, nesta terça-feira, 6/10, após reunião com o ministro da Justiça, Tarso Genro.
Os estudantes inscritos ao Enem receberão novo cartão de confirmação de inscrição, com a informação sobre os locais onde realizarão as provas remarcadas para os dias 5 e 6 de dezembro. Todas as provas vestibulares de universidades e institutos federais marcadas para esta data, além dos concursos para o IBGE e da Receita Federal, serão postergados. Seus organizadores concordaram com o adiamento em prol da realização do Enem.
Está disponível no site do enem (www.enem.inep.gov.br) um simulado com download para a nova versão do ENEM.
Com o TRI (Teoria da Resposta ao Item) dominado pelo sistema COC, está sendo disponibilizado também, em parceria com o Portal TERRA, a oportunidade de saber a sua provável pontuação no ENEM, na quarta-feira, dia 07/10/2009.Saiba mais no site: 



Incrições de vestibular:

UFSC (15 de setembro à 14 de outubro)


Boa sorte!


[Ana Hemb]




domingo, 27 de setembro de 2009

Por que existem canhotos?

Ninguém sabe ao certo por que não somos todos ambidestros (as vantagens seriam óbvias) ou, se era para escolher um lado, todos destros de uma vez.A razão de algumas pessoas preferirem a mão direita e outros a esquerda é um dos mistérios da ciência.Sério, está ali , ali com "de onde viemos" e "para onde vamos".
O fato é que  10% da humanidade teima em ser canhota, intrigando geneticistas, neurologistas e antropólogos.
Em 2004, um estudo dos franceses Charlotte Faurie e Michel Raymond defendeu que os canhotos conquistaram a sua cota na marra: por surpreender no combate corpo a corpo, o uso da mão esquerda era favorecido pela seleção natural.
Já na seleção artificial, só desvantagem - até a metade do século 20, por exemplo, só se ensinava a escrever com a mão direita.Volta e meia ainda saem pesquisas dizendo que os canhotos morrem antes, porque a porcentagem deles diminui conforme aumenta a faixa etária.Na verdade, isso é reflexo do antigo preconceito: há menos canhotos entre os idosos porque muitos foram obrigados a ser destros.

Os principais fatores que influenciam na existência dos canhotos:

1- Genética: Aparentemente, é o fator que mais conta.O irmão gêmeo de um canhoto tem 76% de chance de também ser.Em 2007, pesquisadores descobriram o gene LRRTM1, o primeiro relacionado à preferência da mão esquerda.

2- Gestação: O neurologista Norman Geschwind criou a teoria de que um alto nível de testoterona da mãe durante a gravidez afetaria o desenvolvimento do hemisfério direito do cérebro do feto, aumentando as chances de o bebê nascer canhoto.

3- Cultura: Além de as escolas favorecerem o aprendizado da escrita com a mão direita, no imaginário ocidental tudo relacionado ao lado esquerdo tinha conotação negativa - tanto que a palavra latina para quem usa a mão esquerda é sinistro.
Super Interessante - ago/2009

Post em homenagem a minha amiga (e seus/nossos paradoxos) Garvizú, que é canhota aliás.

[Ana Hemb]

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

"De repente a contramão é o seu caminho."

A banda composta por Dinho (vocal), Batoussai (guitarra, back vocal), Stumm (bateria, back vocal), Fernando (baixo, back vocal), Minhoca (guitarra), já é carta marcada em bares, shows e incovers da vida musical da chuvosa Joinville.
Meio a contragosto de muitos que preferem os covers bem executados de Guns, ACDC e afins, esses caras tem ido na contramão da falta de incentivo musical, e da própria dificuldade de conseguir o reconhecimento enquanto músicos joinvillenses, com suas composições próprias.
Nesse cenário musical no qual Santa Catarina ainda não é considerada pólo de referencia, pisando onde não tem chão, reavivando o Rock que corre em veias catarinenses.



 1- O rock joinvillense recebe incentivo?

 O Incentivo existe sim. Porém, é bem pequeno. É difícil achar pessoas de fora do ramo musical, que topam investir em algum apoio de evento musical. Ainda existe bastante preconceito no que se diz respeito a "musicas próprias". O interesse em conhecer/apoiar as músicas das bandas joinvillenses, é um tanto fraco. Claro, isso não é via de regra. Existem exceções quanto a isso!

 • E que tipo de incentivo achas que falta principalmente?

 Talvez se o público fosse mais fiel e abrangente às bandas joinvillenses, e os apoiadores apostassem mais no cenário da música da nossa cidade, poderíamos nos tornar referencia musical, assim como Curitiba e Porto Alegre.  

 2- Pelo o que vocês conhecem das bandas locais, vocês acham que elas tem potencial? Algum exemplo?

 Com certeza! Existem muitas bandas com forte potencial, que fazem apresentações pelos bares e casas de show da cidade. Nós temos excelentes músicos, que ainda não conseguiram mostrar as caras pelo Brasil afora, talvez por falta de oportunidade. Se depender de talento, tenho certeza que Joinville vai ser referencia musical
 Comanches, Black Huxley, 1/4 de Gin, Just Face, Cultura Monstro... São as referencias que me vieram agora na cabeça, entre tantas outras bandas e outros músicos de excelente qualidade. 

 3- Vocês não tem medo que a banda acabe rotulada pelo cover de Guns N'Roses com o qual se tornou conhecida?

 O pessoal quer ouvir muito cover. Tocar cover é muito bacana. Tanto é que até hoje, mais da metade do nosso repertório é composto por covers das bandas de referencia que a Sexy Pearl teve. Mas a gente não pode se limitar apenas a isso. Temos a nossa personalidade musical pra mostrar pra galera.
 Quando nós decidimos não viver exclusivamente dos covers, e demos inicio às composições próprias, existia sim esse medo. Principalmente pela voz do Dinho. O timbre dele é bem parecido com o do Axl Rose. O nosso instrumental é bem Hard Rock anos 80/90. Entre as nossas principais influencias, estão Guns N Roses e Aerosmith. É normal que apareçam  as rotulações. Mas graças a Deus, são bem menores do que as esperadas no inicio do nosso trabalho próprio.

 4- Qual o objetivo real de vocês com a música de vocês, com o trabalho de vocês? Pretendem tornar a banda uma profissão, como carreira principal ou apenas algo a mais, além do emprego?

objetivo principal, quando montamos a banda, era de nos tornarmos estrelas do rock n roll ... mas isso era um pensamento um tanto primário. Afinal, não é da noite pro dia que as coisas acontecem. Não é só pegar uma guitarra, ter cabelos compridos e um visual extravagante que vai te levar pro Hall da fama. É muito mais do que isso. Não que tenhamos abandonado o sonho de um dia  sermos referencia do rock, pra gurizada que está começando.. mas isso não é o nosso objetivo único de vida. Isso seria uma consequência agradável. Todos da banda tem o seu emprego, e vive uma vida normal. Se algum dia a gente conseguir chegar lá, que bom! Se não chegarmos, tudo bem. O que queremos mesmo, é a diversão em tocar o Rock N Roll!


Entrevista com Luiz, guitarrista da banda Sexy Pearl.



Sugestão de música: "Meu ouro seu medo"


[Ana Hemb]